Resenha: Mansfield Park, de Jane Austen

domingo, janeiro 19, 2014

E eis que temos aqui o primeiro clássico de 2014. A autora não podia ter sido mais selecionada: Jane Austen, alguém ao qual comecei a ler apenas na época da faculdade mas que me despertou o prazer por algo tido como irrepressível (afinal de acordo com um consenso quase geral, os clássicos são intocáveis e devem ser considerados sempre perfeitos).

Até escolher “Mansfield Park”, já tinha lido “Razão e Sensibilidade”, “Persuasão”, “Orgulho e Preconceito” e “Emma”. A sensibilidade da autora me toca, assim como o seu refinamento e tato para falar dos problemas da sociedade, portanto achei que seria hora de me envolver com a vida e o cotidiano de Fanny Price.


Título: Mansfield Park
Autora: Jane Austen
Editora: Best Bolso - 432 páginas
Aos 12 anos de idade a jovem Fanny passa a morar de favor em Mansfield Park, a casa do esposo de sua tia, Sir Thomas Bertram. Inteligente e estudiosa, ela logo se torna amiga de seu primo Edmund, o filho mais novo de seus tios, apesar de ser sempre destratada por seu tio e pelas suas primas fúteis. Com o passar do tempo Fanny se torna uma bela mulher, que acaba chamando a atenção de Henry Crawford, jovem que se tornou recentemente seu vizinho juntamente com sua irmã, Mary. Notando o interesse de Henry por Fanny, os tios dela logo promovem um encontro entre os dois para logo depois se sentirem revoltados com o desprezo que a jovem demonstra pelo seu novo vizinho.

Ao contrário de alguns dos vários clássicos com os quais me envolvi no meu caminho de leitora, Jane Austen consegue me envolver inteiramente. Os dramas e cotidianos parecem bem críveis assim como as preocupações dos personagens. Alguns itens de narrativa me envolvem mais, como a facilidade com que se passa de um ponto para outro: um estilo comum para a época e comum sobretudo para Austen. Aliás, um estilo ao qual ela tinha grande habilidade para lidar, ainda mais considerando a época e o preconceito inerente ao sexo feminino naqueles tempos. Por algumas vezes fui capaz de querer matar alguns personagens: em especial a simpática Tia Norris, um amor de pessoa.

O resultado da minha leitura é que estou em dúvida se considero Mansfield Park o segundo ou o terceiro melhor livro no meu ranking de preferência de Jane Austen até o momento. Essa preferência pode causar estranheza já que esse não é uma das obras mais apreciadas da autora. De qualquer modo, ainda pretendo ler a "A Abadia De Northanger" e reler "Razão e Sensibilidade" antes de chegar a alguma conclusão nesse sentido. Não vai ser sacrifício, afinal ler Jane Austen é sempre um grande prazer.

Leitura recomendada, porém com três corujas de classificação.

Leia também!

0 comentários

Não se acanhe e deixe seu comentário.
Mas não aceito comentários esdrúxulos, ofensivos, com erros, preconceituosos... Ahh, você me entendeu.

Google+

Contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Resenhas

Sensacional!

Muito bom!

É bom...

Já li melhores.

Horrível