Top 5: Minhas decepções literárias

quarta-feira, julho 22, 2015

Normalmente ocupamos o espaço dos nossos blogs para falar de coisas boas, porém, que mal tem em variar um pouco? Enfim, esse é um post para falar de altas expectativas e que nem sempre correspondem a realidade. Ou seja: crie porco, galinha, cachorro, mas não crie expectativas. E acho que posso falar um pouco a respeito disso



Inicialmente eu pensei em um Top 10 das decepções literárias, porém descobri que minha capacidade para odiar não parece ser tão grande assim - sem contar o fato de que minha memória nunca foi lá muito eficiente. Acabei decidindo que um Top 5 seria sacrifício até mais que o suficiente.

5. Uma História da Terra e do Mar - Katy Simpson Smith


Esse livro fez pare das minhas leituras mais recentes - tanto que deve ser resenhado em pouco tempo. Vi as informações de lançamento dele no Skoob, me interessei pela sinopse e fiquei no aguardo. Comprei o livro físico assim que esteve em um preço bom. E poucas vezes senti tanto arrependimento na vida.

A escrita é interessante. A narrativa é bonita, mas sabe quando aparentemente a autora só estava interessada em escrever frases bonitas, mas não necessariamente chegar a algum lugar ou contar uma história? Pois é, foi o que eu senti.

A história partiu do nada ao lugar nenhum e até mesmo eu - que não me importo se uma história parece lenta ou não - fiquei entediada e com vontade de jogá-lo longe. Não o fiz. Terminei a leitura, mas senti que perdi longas horas da minha vida com esse livro. E definitivamente não tenho interesse em procurar mais nada escrito por essa autora.

4. O Momento Mágico - Jeffrey Zaslow


Esse livro também gerou grandes expectativas no meu coraçãozinho de leitora. Embora esteja longe de ser uma alma romântica, óbvio que como jornalista eu me interessaria pelo cotidiano e pelas histórias de uma loja tradicional de vestidos de noivas, especialmente quando os relatos não são ficcionais. E seguindo o velho cronograma esperei até ter a grana e comprei o ebook porque não estava disposta a esperar a entrega. Queria ler rápido.

E me decepcionei pelo que encontrei. Não que tenha sido problemático, ou com sérias falhas de enredo, mas achei toda a situação muito forçada. Que toda a escrita tinha o claro objetivo de causar uma emoção que me soou exagerada, ou que o autor não soube trabalhar de um modo mais natural. Ou talvez meu velho ceticismo não tenha me ajudado nessa hora. Talvez eu apenas não seja romântica o suficiente para isso.

Enfim, habemus decepção.

3. Aprendi com Jane Austen - William Deresiewicz


Quem está acostumado a acessar o blog ou interage comigo nas redes sociais já deve ter notado que sou fanzoca de Jane Austen, o que significa que procuro ler até os spin-offs e outros livros baseados em sua trabalho. Essa obra não seria exceção e eu a desejei desde o exato momento em que descobri sua existência.

Devo dizer que eu preferia ter ignorado. Teria economizado boas horas do meu tempo.

A conclusão que cheguei a respeito desse livro é de que o autor era simplesmente um cara babaca e chato que - após ler os livros de Jane Austen - tornou-se apenas um cara chato. Aliás, tudo ali se resumia em falta de educação, simples assim.


2. Mel e Amêndoas - Maha Akthar


Devido a minha descendência síria e minha inevitável curiosidade e anseio por histórias de mulheres fortes do oriente médio, eu embarquei sem nem pensar duas vezes.

Leitor: eu deveria ter pensado 20 vezes antes de comprar esse livro. Infelizmente foi na época em que ele não estava disponível em ebook e não pude verificar a amostra. Confiei no meu coração (dramática) e esperei ter algo bom em mãos, mas maldita seja a expectativa...

Ao invés do que esperava, eu me deparei com um livro mal escrito, mal amarrado, de personagens caricatos e desinteressantes e fluxo de acontecimentos totalmente sem nexo. E claro, também o livro com um dos finais mais preguiçosos que já li na vida.


1. As Senhoritas de Amsterdã - Martine Fokkens Louise Fokkens


Ainda no embalo do interesse por mulheres consideradas fortes, sempre tive curiosidade na figura das irmãs Fokkens. E claro que um livro que prometia suas histórias me deixaria interessada. O problema é que a situação mudou muito depois que tive contato com a obra.

O livro tem exatamente 208 páginas e levei quatro meses e meio para ler. Bizarro levando em consideração de eram pequenas histórias, todas com poucas páginas, entre passado e presente. Ainda mais bizarro porque leio livros bem maiores que esse em muito menos tempo. Mas grande parte das histórias eram absolutamente banais, sem graça e sequer mereceriam ganhar a notoriedade de um registro escrito.

E você? Também tem alguma decepção literária? Então divida seu sofrimento com a gente e deixe um comentário! 

Leia também!

4 comentários

  1. O que tinha sido uma decepção a princípio eu reli com a mente mais aberta e gostei. Foi da Boudicca da Manda Scott, eu achei que ele tinha uma pegada muito wiccan e isso me incomoda nas estórias, quando um fator mágico externo é superior ao cotidiano, com toda aquela estória dela ter que achar um animal de poder que a daria um status mágico na comunidade. Eu só queria uma estória sobre uma mulher forte e celta. Nada mágico, só histórico. Passado esse estranhamento, eu gostei bastante. É divertido.
    O outro é aquele Morte em Pemberley, sobre o assassinato do Wickham - se não me engano. Eu não consegui ler muito dele por que tinha um ar muito fanfiction, de uma forma ruim. Como se ela tentasse recontar uma estória que eu já sei e não uma estória nova. Possivelmente por ser o início, mas não consegui passar disso. Estava muito animada com ele, pq a bbc fez uma minissérie e tudo, mas não rolou.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em alguns momentos o estranhamento atrapalha muito. Bom é quando somos capazes de reler, relevar a primeira impressão e até se divertir. <3

      Esse "Morte em Pemberley" eu já ouvi falar mas nunca tentei ler. Estou acostumada com outras adaptações com ar de fanfic (li orgulho, preconceito e zumbis), mas se pega pro lado ruim desse universo... gsuiz, fica impossível. Acho que dei sorte com o pouco que vi até agora.E vou pensar três vezes antes de procurar o "Morte em Pemberley" também. :-)

      Excluir
    2. Acabei de ler "Morte em Pemberley". O que posso dizer é: 'quero meu tempo de volta'. Fiquei decepcionada. :P

      Excluir
  2. Trilogia A mão esquerda de Deus. Mdssss. O que mais me decepcionou foi o potencial que enredo tinha ou parecia ter e de repente o negócio desandou já no no terço final do primeiro livro. Mas como não gosto de deixar leitura pelo meio, sou teimosa e arrisquei o segundo volume. Foi só mais perda de tempo. Conforme os mistérios vão se revelando segue-se uma sucessão de situações clichês e personagens rasos que antes pareciam tão promissores. A impressão que tive é que o autor (ou autora, nem lembro mais) estava sendo pressionada a escrever e não teve tempo de trabalhar bem os perfis psicológicos dos deles sabe? pq do nada eles começam a agir de forma inesperada e não condizente com o que tinha sido escrito até o momento, mas não de maneira intencional para enriquecer a trama, parecendo mais falta de criatividade ou descuido mesmo. Esse não consegui nem chegar até a metade. Resumindo, eu entendi o intuito do livro: a narrativa teve a pretenção de ser um reconto fantástico (como uma versão de um universo paralelo) da história de Jesus com forte crítica a igreja católica e seus dogmas, mas não consegue fazer o leitor de fato comprar essa ideia. Desculpem se alguém gostou, mas eu não recomendo nem para passar o tempo.

    ResponderExcluir

Não se acanhe e deixe seu comentário.
Mas não aceito comentários esdrúxulos, ofensivos, com erros, preconceituosos... Ahh, você me entendeu.

Google+

Contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Resenhas

Sensacional!

Muito bom!

É bom...

Já li melhores.

Horrível