Resenha: A Noiva Fantasma, de Yangsze Choo

quarta-feira, dezembro 16, 2015

Estava bem a fim de ler esse livro e devorei assim que adquiri o ebook. É o livro de estreia de Yangsze Choo, descendente de malaios e formarda em Harvard. Inspirou-se na própria terra para escrever o livro que é bom, mas poderia ser bem melhor.





Sinopse:
Certa noite, meu pai me perguntou se eu gostaria de me tornar uma noiva fantasma...

1893. Li Lan é uma jovem que recebeu educação e cultura, mas que vive sem grandes perspectivas depois da falência de seus pais. Até surgir uma proposta capaz de mudar sua vida para sempre: casar-se com o herdeiro de uma família rica e poderosa. Há apenas um detalhe: seu noivo está morto.

A Noiva Fantasma é o surpreendente romance de estreia de Yangsze Choo, a escritora de ascendência oriental que está encantando fãs por todo o mundo.


O livro

Li Lan já está ficando velha (para os moldes da época) e precisa se casar. Seu pai, atacado por varíola e com o rosto desfigurado, está falido e apesar de viverem em uma grande casa, não estão nadando no luxo. O pai fuma ópio como forma de escapar dos problemas, enquanto Li Lan vive sem muitas perspectivas. Um bom casamento pode salvar a família.

Eis então que surge uma proposta. Uma família amiga do pai de Li Lan oferece um casamento muito promissor, mas tem um problema: o noivo já morreu. Mas ainda assim, ela teria todos os direitos de uma esposa comum. Lim Tian Ching morreu e para apaziguar seu espírito, a proposta surgiu, já que Li Lan estava solteira e poderia assim salvar a casa.

Sua ama acha o negócio de extremo mau agouro. Ainda assim, quando Li Lan é convidada para ir à casa da família de Lim Tian Ching para uma tarde de mahjong, ela a estimula e a repreende para ser recatada, ficar arrumada, não amassar a roupa. Li Lan é, praticamente, interrogada pela matriarca da família, mãe de Lim, mas depois seu coração é arrebatado por Tian Bai, primo de Lim.

Sabe amor à primeira vista? Então, é o que acontece aqui. O livro desaponta nesse sentido, pois a protagonista só pensa em Tian Bai o tempo todo e ao exagerar numa dose de um remédio para dormir quase morre. E é aí que ela vira uma "noiva fantasma". Ela vê seu corpo estirado na cama e começa a andar pelo mundo sobrenatural, vendo demônios e outros seres que perambulam pela cidade espiritual.

O livro acontece na província de Malaca, um dos menores estados da Malásia, Patrimônio Mundial da UNESCO. Foi colonizada pelos portugueses e depois entregue aos britânicos, mas tinha muita influência chinesa e costumes vindos da China. Não conseguimos ver bem os detalhes destas culturas, tirando a chinesa, bastante influente. A forma como Choo construiu o mundo espiritual e explica sobre as oferendas queimadas aos mortos é muito interessante, bem como a ligação com os vivos e a situação dos espíritos "do outro lado".


Avaliação

Título original: The Ghost Bride
Ano: 2015
Páginas: 360
Editora: DarkSide

Apesar de ter gostado da ambientação, de sair do eixo Estados Unidos-Europa, o livro peca pela falta de profundidade dos personagens. O pai de Li Lan, por exemplo, é quase um borrão, descrito como um viciado em ópio. Li Lan é uma personagem muito interessante, mas que peca por pensar quase que integralmente em Tian Bai e depois em outra pessoa que surge em seu caminho, este um ser que só temos noção do que é bem no final. Temos um triângulo amoroso, um tanto diferente do que costumamos ver, mas ainda assim um triângulo amoroso e bem batido.

Yangsze Choo

O final também me decepcionou. Senti que a autora deu mais voltas do que o necessário para chegar ao final que foi fraco, pois algumas coisas se resolvem e não outras. Esperava um grande embate entre forças do mal e do bem, ou algo assim e não foi o que aconteceu. Foi um final morno e pouco digno do cenário grandioso que vimos. Um dos personagens do triângulo amoroso mal tem sua vida explicada quando comparamos com os outros.

Uma crítica ao ebook da DarkSide: foi desnecessário colocar no início de cada capítulo um imenso tsuru com o nome do livro e da autora. Sério, eu sabia o que estava lendo. E uma crítica à capa, aquela menina não tem cara de ser da Malásia. Tirando os problemas, é uma obra bem mediana. Tem grandes passagens culturais e é uma boa visão de outra cultura, o que enriquece e muito a leitura. Três corujas.

Leia também!

0 comentários

Não se acanhe e deixe seu comentário.
Mas não aceito comentários esdrúxulos, ofensivos, com erros, preconceituosos... Ahh, você me entendeu.

Google+

Contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Resenhas

Sensacional!

Muito bom!

É bom...

Já li melhores.

Horrível