TAG: Chatice Literária

segunda-feira, dezembro 26, 2016

Eis que 2016 está acabando. E claro, no clima de retrospectiva e resoluções típicos do fim de ano, posso resumir meu ano neste blog como um tremendo fail. Sim, afinal mesmo que o número de livros lidos este ano seja maior que o ano passado, não foi como se eu estivesse aplicada com a ideia das resenhas. Mas tudo bem, reconheço minha culpa e, diante disso, vou pelo menos me esforçar para fazer algo além da retrospectiva literária. Para isso, posso me valer das TAGs salvadoras!

A tag é "Chatice Literária", criado pelo Pausa para um Café. Quem me convidou para responder foi a Sybylla do Momentum Saga (como sempre, né fia?). Então vamos a minha humilde tentativa:


1 - Um livro que você achou que seria legal, mas foi chato:

"Dentro do Segredo" de José Luís Peixoto: O livro relata a experiência do autor como turista na Coréia do Norte. Em ocasião das celebrações do centenário do falecido ditador Kim Il-sung duas semanas, um grupo de turistas ocidentais (o autor incluído) teve autorização para um roteiro turístico de duas semanas, incluindo a capital e outros lugares raramente visitados. Eu gosto de ler sobre a Coréia do Norte, e pelo menos dois livros com essa temática estão na minha atual lista de favoritos para a vida. O problema foi a expectativa: esperei muito por esse livro, ainda mais considerando o fato de que sempre tive curiosidade em saber como funcionavam os pacotes de turismo para estrangeiros interessados no país, mas sabe quando o livro te disse muito pouco? Pelo menos a mim ele não disse quase nada, salvo algumas curiosidades aqui e ali. Não teve nenhum significado pra mim, talvez um efeito esperado depois de ter passado por outros livros sobre o lugar. O significado que ele teve para mim foi a persistência já que demorei muito a terminá-lo.

2 - Um livro que todos dizem que é fantástico, mas você não achou:

Se eu fosse responder essa pergunta usando o primeiro livro que pensei para esse quesito, acho que não sairia viva caso um fã mais ardoroso lesse o post. Então optei por algo menos polêmico:

"Conselhos Amorosos de Emily Bronte" de Anne Donovan é um daqueles livros que está cheio de resenhas elogiosas no Skoob. Some isso ao fato da pessoa que vos escrever ser fanzoca das irmãs Bronte? O problema é que a obra tem muito pouco de Emily Bronte (e não justifica muito a inclusão de seu nome no título além de atrair os fãs da autora), restando a história de uma garota que talvez não tivesse feito tanta merda na vida se passasse por uma terapia do luto logo no começo da história. Sério, péssimo.

3 - Um livro que tinha tudo para ser bom, mas é chato

Posso incluir dois livros aqui, produção? Posso sim. O blog é meu e eu faço as regras:

"As Senhoritas de Amsterdã" de Martine Fokkens e Louise Fokkens é um livro que resume meus problemas com expectativas: sempre tive curiosidade na figura das irmãs Fokkens. E claro que um livro que prometia suas histórias me deixaria interessada, mas infelizmente só me restou a frustração. O livro tem exatamente 208 páginas e levei quatro meses e meio para ler. Bizarro levando em consideração de eram pequenas histórias, todas com poucas páginas, entre passado e presente. Ainda mais bizarro porque leio livros bem maiores que esse em muito menos tempo. Mas grande parte das histórias eram absolutamente banais, sem graça e sequer mereceriam ganhar a notoriedade de um registro escrito.

"O Momento Mágico" de Jeffrey Zaslow também me rendeu grandes expectativas no coraçãozinho de leitora e também altas decepções. A situação toda me pareceu muito forçada, com uma escrita toda destinada a provocar uma emoção que me soou exagerada. Faltou naturalidade. Ou talvez meu velho ceticismo não tenha me ajudado nessa hora. Talvez eu apenas não seja romântica o suficiente para isso.

4 - Um livro com personagem principal intragável

Para essa questão, tive duas opções em mente, mas como em um dos casos sou bem dada a levar em consideração a ideia de tentar me colocar no lugar do personagem, acabei deixando de lado. O que me resta?

"Sedução da Seda" de Loretta Chase tem como protagonista a modista Marcelline Noirot. Como se não bastasse o livro em si ser ruim, mal escrito, mal planejado e super repetitivo, ele simplesmente não traz personagens carismáticos. Não consegui gostar de nenhum deles, muito menos da protagonista. Marcelline passou mais da metade do livro sendo arrogante. E não, não sou daquelas que espera uma protagonista típica-mocinha-delicada. Marcelline era apenas arrogante e mais nada: nenhuma outra qualidade além do talento como modista e da frase "Sou a melhor modista do mundo". Foi uma experiência tão ruim que o livro me fez sair da onda de romances de época na qual estava envolvida. Um banho de água fria daqueles.

5 - Um livro com final terrível

"Voragem" de Jun'ichiro Tanizaki foi um livro altamente recomendado por uma amiga. E estava tudo indo muito bem até a metade da história, até que as coisas começaram a ficar muito enroladas. Sabe quando o autor parece ficar impaciente e o livro fica inverossímil? A situação piora no final. Francamente, esperava mais.

6 - Um universo que você nunca gostaria de morar

Não sou exatamente uma super leitora do gênero de ficção científica ou mesmo fantasia, mas por hora acho que Game of Thrones é uma boa sugestão de universo no qual não ia rolar no meu caso. Acho que nem preciso entrar muito em detalhes, né? De qualquer modo não terminei de ler os livros publicados até o momento e acho que vou demorar a pegar neles novamente.

7 - Um livro que você tem na estante mas tem medo de ler por parecer chato

Se está na minha estante, eu não tenho medo de que possa ser chato. Se eu achasse isso, nem estaria lá, acredite. O negócio é que preciso estar no clima para o tipo de leitura e me planejar. O meu exemplo mais atual para esse tópico é "Sussurros" de Orlando Figes: pego o livro, leio algumas páginas, deixando de lado para um momento mais apropriado. A temática dele é densa, cheia de fatos históricos e datas e precisa de um pouco de tempo para absorver, sem contar que é um tijolão super desconfortável de manusear. Não é um troço que vou sair levando pra tudo que é lado.

8 - Um livro que tinha tudo para ser chato, mas foi bom. 

Não leio nada que seja chato, gente. Até o momento não tenho parcerias com editoras, então não tenho obrigação de ler nada, em especial o que possa achar chato.

E então? Leu algum desses livros da lista ou quer compartilhar sua lista de chatices literárias?

Deixe um comentário!

Leia também!

1 comentários

  1. Adorei as respostas, Manu!

    E você já falou tanto desse As Senhoritas de Amsterdã que ele está na minha listra negra em definitivo. 😝

    ResponderExcluir

Não se acanhe e deixe seu comentário.
Mas não aceito comentários esdrúxulos, ofensivos, com erros, preconceituosos... Ahh, você me entendeu.

Google+

Contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Resenhas

Sensacional!

Muito bom!

É bom...

Já li melhores.

Horrível