Resenha: O Tribunal das Almas, de Donato Carrisi

sexta-feira, setembro 11, 2015

Adoro um bom suspense, um bom thriller criminal. Adoro. E a premissa de o Tribunal das Almas é muito boa. Tem suspense, tem organizações secretas da Igreja Católica, tem até Chernobyl. Acho que é por ter tanta coisa que o livro fica extremamente cansativo.





Sinopse:

Em O tribunal das almas, Donato Carrisi mostra novamente seu talento e o porquê do sucesso de seu thriller anterior, O aliciador. Conciliando um enredo repleto de reviravoltas e personagens complexos, Carrisi aborda os mais obscuros recônditos da psique humana. Enquanto uma chuva desaba sobre Roma, dois homens se reúnem num antigo café na piazza Navona. O sigiloso encontro tem como assunto principal o desaparecimento de Lara, uma jovem estudante. O caso poderia ser como muitos outros, a não ser por um pequeno detalhe: a porta do apartamento dela estava trancada por dentro. Agora, um deles, Marcus, tenta descobrir o que aconteceu com Lara – e se ela ainda está viva. Sofrendo de amnésia, ele não sabe a própria identidade; apenas que tem um talento notável para perceber as pequenas incoerências que o ser humano inevitavelmente deixa para trás. Marcus vive em meio às sombras e geralmente passa despercebido pela multidão, e talvez justamente por isso ele saiba como circular com habilidade pelo mundo do crime. Apenas um homem que conhece verdadeiramente o mal que a alma humana é capaz de provocar consegue enxergar certas coisas. Enquanto isso, a especialista em fotografia criminal Sandra Vega lida com seus próprios demônios. Seu marido David faleceu há cinco meses em circunstâncias extremamente suspeitas, e agora cabe a ela desvendar o ocorrido naquela fatídica noite.


O livro

Em um primeiro momento, conhecemos Marcus. Ele é um misterioso investigador que sofre de amnésia após sofrer um ferimento na cabeça. Ele então é chamado por um colega para entrar em um apartamento, sem contar muitos detalhes. Marcus tem uma grande capacidade de enxergar detalhes que outros investigadores não têm. Mas ele é um investigador clandestino. Ele e seu amigo trabalham para uma organização secreta chamada de Tribunal das Almas.

Enquanto isso, a história deles se cruza com Sandra, fotógrafa da polícia científica que ficou viúva recentemente. Seu marido, David, disse que estava viajando a trabalho, pois era fotógrafo, mas na verdade ele nunca saiu da cidade. Sandra nunca entendeu a mensagem que recebera dele no celular e que nunca apagou para poder ouvir a voz dele sempre que possível. A única coisa que ela sabe é que David investigava algo chamado O Tribunal das Almas e aí parte em busca das pistas que ele deixou.

Enquanto Marcus investiga o que houve com a dona do apartamento e como ela pode ter sido retirada de lá sem ser pela janela ou pela porta - trancada por dentro - a história dele e de Sandra se cruza. Paralelamente a tudo isso - com cenários sombrios e ótimas descrições - um homem infarta e a médica do resgate descobre que ele é um conhecido assassino serial de mulheres. E ela descobre que ele foi o assassino de sua própria irmã. Ela deve salvar sua vida?

Às vezes, gostaríamos que a realidade fosse diferente. E se não podemos mudar as coisas, então pomo-nos a explicá-las à nossa maneira. Mas nem sempre conseguimos.

Além disso, um investigador misterioso persegue uma pessoa ainda mais misteriosa que veio diretamente da tragédia de Chernobyl. Este caso é contado ao contrário, o que fará total sentido no final do livro.


Avaliação

Eu curto este tipo de livro, curto suspense e ação policial. E achei a forma como o autor lidou com todos esses sub-enredos muito engenhosa. Temos aqui personagens muito profundos, com dilemas e demônios pessoais, muitos sentimentos envolvidos e cenários sombrios que realmente dão um frio na barriga durante a leitura.

Título original: Il tribunale delle anime
Editora: Record
Ano: 2013
Páginas: 434

No entanto, esses sub-enredos paralelos e o excesso de personagens tornam o livro um tanto cansativo. São tantas pessoas, nomes, lugares e personagens secundários com tantos outros detalhes sobre suas próprias vidas que vai se tornando uma leitura um pouco morna. Temos grandes momentos de tensão entrelaçados à vida de Marcus e Sandra, mas aquilo esfria para dar lugar à uma misteriosa dupla de gato e rato pela Europa. Não sei. Senti que isso poderia ter sido menos, que poderia ser melhor trabalhado, sem tanta ponta para atar depois. Por si só o Tribunal das Almas seguraria a obra até o final.

Para os fãs de thrillers policiais eu realmente recomendo O Tribunal das Almas, mas apenas se estiver com tempo e disposição. A leitura prende, o mistério também, mas esse monte de gente e nomes e lugares e mistérios podem ser excessivos para quem não tem tanta paciência. Três corujas para o livro de Carrisi.

Leia também!

0 comentários

Não se acanhe e deixe seu comentário.
Mas não aceito comentários esdrúxulos, ofensivos, com erros, preconceituosos... Ahh, você me entendeu.

Google+

Contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Resenhas

Sensacional!

Muito bom!

É bom...

Já li melhores.

Horrível